EDIÇÃO

 

TÍTULO DE ARTIGO


 

AUTOR


ÍNDICE TEMÁTICO 
  
 

voltar
voltar à lista de autores

Resumo
Tradução Luciana Menin Lafraia A fim de pensar sobre as possibilidades de resistência criativa às mutações socioculturais contemporâneas, o artigo apresenta uma história das “clínicas institucionais” e sustenta que as relações entre a psicanálise e as instituições de cuidado se estabeleceram como resistência contra diferentes figuras do Mal, e em torno das problemáticas das psicoses, dos traumatismos de guerra e dos adolescentes em conflito com a lei.


Palavras-chave
análise de grupos; adolescentes em conflito com a lei; mutações contemporâneas; psicose.


Autor(es)
Jean-Pierre Pinel Pinel

é analista de grupos e instituições, presidente da Transition Association Européenne d’analyse de groupe et d’institution e professor de Psicopatologia Social e Clínica na Université Paris xiii.




Abstract
In order to think about the possibilities of creative resistance to contemporary socio-cultural mutations, this paper presents a history of “institutional clinics” and maintains that the relations between psychoanalysis and institutions of care have been established as resistance against different figures os Evil, and around the problems of psychosis, war trauma and delinquency.


Keywords
Group analysis; adolescentes in conflict with law; contemporary mutations; psychosis.

voltar à lista de autores
 TEXTO

Das grandes guerras às mutações socioculturais contemporâneas: uma breve história das clínicas institucionais

From the great wars to contemporary sociocultural mutations: a brief history of institutional clinics
Jean-Pierre Pinel Pinel


topovoltar ao topovoltar à lista de autorestopo
 
 

     
Percurso é uma revista semestral de psicanálise, editada em São Paulo pelo Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae desde 1988.
 
Sociedade Civil Percurso
Tel: (11) 3081-4851
assinepercurso@uol.com.br
© Copyright 2011
Todos os direitos reservados