EDIÇÃO

 

TÍTULO DE ARTIGO


 

AUTOR


ÍNDICE TEMÁTICO 
  
 

voltar
voltar à lista de autores

Resumo
Este texto pretende refletir sobre a relação entre psicanálise e política no atendimento a migrantes com base na experiência do Projeto Ponte. A clínica com migrantes contorna uma particularidade na escuta dos efeitos do deslocamento de um sujeito “entre culturas”, desafiando-nos a pensar naquilo que se repete na história, sendo, portanto, da ordem do sintoma, mas que se atualiza frente aos conflitos contemporâneos com as ferramentas que a cultura oferece no tempo presente.


Palavras-chave
psicanálise e política, clínica com migrantes, lugar do analista.


Autor(es)
Caroline Yu Yu

é psicóloga formada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), aprimoranda do curso de terapia psicanalítica familiar e casal, do Instituto Sedes Sapientiae.



Cláudia Sagula Sagula
é psicanalista, graduada em psicologia e pedagogia e com pós-graduação em psicopedagogia.


Heloisa Silva Silva

é mestre em psicologia escolar e do desenvolvimento pela Universidade de São Paulo (USP); graduada em psicologia pela mesma instituição.



Liliana Emparan Emparan
é doutoranda em psicologia clínica pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (IPUSP). Mestre em psicologia e educação pela Faculdade de Educação da USP (FEUSP). Psicopedagoga, psicanalista e membro do Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae. Formada no curso de teoria psicanalítica de casal e família do Instituto Sedes Sapientiae. Coordenadora do Projeto Ponte.


Lisette Weissmann

é doutora em psicologia clínica pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (IPUSP), mestre em psicologia clínica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), especialista em psicanálise de casais e famílias pela Asociación Uruguaya de Psicoanálisis de las Configuraciones Vinculares (AUPCV). Membro do Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae, professora da BSP. Consultora intercultural com expatriados.




Abstract
This text intends to reflect on the relation between psychoanalysis and politics in the migrants’ clinic, based on the experience of the Projeto Ponte. The clinic with migrants circumscribes a particularity in listening the effects of the displacement of a person “between cultures”, challenging us to think about what is repeated in history, being, therefore, of the order of the symptom, but which is updated in the face of contemporary conflicts with the tools that culture offers in the present time.


Keywords
psychoanalysis and politics, migrants’ clinic, position of the analyst.

voltar à lista de autores
 TEXTO

Desafios e especificidades da clínica psicanalítica com (i)migrantes e refugiados. Somos todos migrantes?

Challenges and specificities of the psychoanalytic work with (im)migrants and refugees. Are we all migrants?
Caroline Yu Yu
Cláudia Sagula Sagula
Heloisa Silva Silva
Liliana Emparan Emparan
Lisette Weissmann


topovoltar ao topovoltar à lista de autorestopo
 
 

     
Percurso é uma revista semestral de psicanálise, editada em São Paulo pelo Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae desde 1988.
 
Sociedade Civil Percurso
Tel: (11) 3081-4851
assinepercurso@uol.com.br
© Copyright 2011
Todos os direitos reservados