EDIÇÃO

 

TÍTULO DE ARTIGO


 

AUTOR


ÍNDICE TEMÁTICO 
46
A clínica do trauma
ano XXIII - junho de 2011
180 páginas
capa: Patricia Furlong
  



Patricia Furlong.
After the fight.
Acrílica sobre tela, 116 x 149 cm, 1986 •

www.patriciafurlong.art.br
capa: Patricia Furlong

voltar ao acervo








EDITORIAL  
TEXTOS  
Estabelecendo os elementos da teoria contemporânea do trauma, Ferenczi afirmou que o trauma se fundamenta em eventos reais e ocorre na dinâmica interpessoal e intersubjetiva das relações de objeto. Salientou a importância da presença ou da falta de uma pessoa de confiança na situação pós-traumática. Depois do trauma, a solidão e o isolamento da vítima representam sérias fontes patogênicas. Na situação traumática, a vítima e o perseguidor/agressor utilizam diferentes mecanismos de defesa. Ferenczi foi o primeiro a descrever o mecanismo de defesa chamado “identificação com o agressor” e apontou os aspectos característicos do papel do analista que podem ajudar na elaboração do trauma. Entre eles, figura o desenvolvimento de uma atmosfera terapêutica baseada na confiança, onde as experiências traumáticas podem ser revividas, sem o que não ocorre uma mudança efetiva. Do lado do analista, a contratransferência como parte da comunicação autêntica é incorporada ao processo terapêutico. Esses são os principais elementos estabelecidos por Ferenczi em seus escritos, e que também aparecem em textos posteriores sobre a teoria do traum
ABSTRACT
In laying down the building blocks of contemporary trauma theory, Ferenczi asserted that trauma is founded on real events and that it occurs in the interpersonal and intersubjective dynamics of object relations. He stressed the significance of the presence or lack of a trusted person in the post-traumatic situation. After the trauma, the loneliness and later the isolation of the victim represent a serious pathogenic source. In the traumatic situation, the victim and the persecutor/ aggressor operate differing ego defense mechanisms. Ferenczi was the first to describe the ego defense mechanism of identification with the aggressor. Ferenczi pointed out the characteristic features of the role of analyst/therapist with which (s)he may assist the patient in working through the trauma, among them being the development of a therapeutic atmosphere based on trust, so that the traumatic experiences can be relived, without which effective therapeutic change cannot be achieved. For the analyst, countertransference, as part of authentic communication, is incorporated into the therapeutic process. These are the key building blocks that are laid down by Ferenczi in his writings and appear in later works on trauma theory.
 
Este trabalho apresenta as particularidades do manejo clínico da transferência do trauma. Parte da longa convivência do autor com o pensamento de Winnicott e faz dialogar seu conceito de transicionalidade com o de multirreferenciado, de François Tosquelles. Lembrando que a defesa maníaca se constrói contra as carências primitivas, o autor propõe que, nesse tipo de transferência, o psicanalista, como a mãe primária, deve oferecer seu espaço psíquico como um lugar onde o paciente possa se reconstruir e possa inaugurar outra relação com o mundo. O analista também ocupa o lugar do ausente. E se o psicanalista consegue acolher a tradução transferencial do trauma, então, graças ao caráter inédito dessa relação, o paciente encontrará uma primeira afirmação primordial, uma Bejahung.
ABSTRACT
This paper presents some aspects of the clinical handling of transference in cases of trauma. Winnicott’s concept of the transitional area is put in relation with the notion of “multireference” proposed by François Tosquelles. Since maniac defenses are built against unfulfilled primitive needs, the author suggests that in these cases analysts must offer his psyche space as a place where the patient can reconstruct himself and initiate a different relationship with the world.
 
Gérard Bonnet propõe uma teorização original dos mecanismos perversos, referindo-os a um sistema organizador do sintoma solidamente estruturado conforme uma lógica de vingança: uma brutal interrupção na situação de sedução originária gera na criança, ao mesmo tempo, objetos internos persecutórios, um desejo inconsciente de vingança e uma fixação à pulsão parcial prevalente na época da ruptura relacional, para manter, a qualquer preço, o eixo das relações perdidas.
ABSTRACT
Gérard Bonnet proposes an original theorization of perverse mechianisms: they are linked to a logic of vengeance, which also structures the perverse symptom. According to him, a severe interruption during the phase of originary seduction creates in the child several simultaneous conditions: a cluster of internal persecutory objects, an unconscious desire of vengeance and a fixation on the partial drive operative at that time.
 
Este artigo procura refletir sobre algumas questões inerentes ao foco presente nas primeiras sessões com crianças vítimas de abuso sexual, quando o objetivo é averiguar a veracidade da situação de violência que traz a criança à psicoterapia. Partindo da clínica com pacientes que passaram por traumas sexuais, o autor discute a posição do psicanalista frente à comunicação da criança e às reações da família ao que é dito.
ABSTRACT
This paper concentrates on the focus in the first sessions with sexually abused children. The aim of these encounters is to ascertain the reality (or not) of the alleged violence against the child. Taking as a basis his experience in these sitauations, the author discusses the peculiar position of the analyst concerning the patient’s communications and his/her family’s reactions to what is told.
 
A partir da clínica com crianças que apresentam queixas de dificuldades de aprendizagem e/ou hiperatividade, a autora discute as queixas que não se enquadram na etiologia neurológica, na deficiência mental, na psicose e na neurose. Busca respostas na teoria psicanalítica, focando o referencial metapsicológico usado por Sílvia Bleichmar nas suas investigações a respeito da constituição inicial do psiquismo, momentos onde o aparelho não está organizado o suficiente para que sejam produzidos sintomas, conforme conceito freudiano. Desta forma, a autora situa estas patologias como “transtorno” na constituição do psiquismo, segundo abordagem teórico-clínica de Sílvia Bleichmar. Também discute o conceito de “corpo-tubo” e de “acompanhante narcisista” desenvolvido por Ricardo Rodulfo nos quadros que ele denomina “transtorno narcisista não psicótico” e suas implicações no diagnóstico diferencial desta patologia via transferência, bem como os efeitos de seus dinamismos na vida escolar do sujeito.
ABSTRACT
Some difficulties in learning are not related to neurological problems, to mental deficience, to neurosis or psychosis. To investigate them, the author of this paper – an experienced child therapist – searches support in Sílvia Bleichmar’s metapsychological schemes of the early constitution of the mind. In this phase, the psychical apparatus is not yet able to produce symptoms in the classical, Freudian sense. In Bleichmar’s opinion, this condition must be described as generating a disturbance. The paper also examines Ricardo Rodulfo’s concepts of “body-tube”and “narcisic companion”and their implications for theschool life of the child.
 
No presente trabalho busca-se discutir as variáveis envolvidas na compreensão de uma situação clínica extrema, na qual uma adolescente tem seu bebê em segredo e o deixa no lixo do hospital. Pretende-se, com este fragmento clínico, articular as condições psíquicas de atribuição de humanidade ao bebê por sua mãe, as condições sociais nas quais estas se inserem e o lugar do discurso psicanalítico no trabalho clínico com mães e bebês.
ABSTRACT
The text discusses an extreme clinical situation, that of a teenager who secretly gives birth to a child and abandons the baby in the hospital garbage bin. There aspects are selected for examination; the psychic conditions under which a mother attributes humanity to her baby, the social conditions in which this process occurs, and the role of psychoanalytical discourse in the clinical work with mothers and babies. Keywords infanticide; abortion; psychoanalysis with mothers and babies; deprivation; culture.
 
O trabalho aborda questões relativas à atualidade das noções freudianas a respeito do mito que definiu as linhas mestras de nossa compreensão do funcionamento psíquico: o Complexo de Édipo. Estas questões são exploradas, desenhando um mapa de reconhecimento das novas complexidades familiares.
ABSTRACT
This paper focuses on the relevance for present times of the myth that defined the frame of our understanding of mental life: the Oedipus complex. It explores some of the questions involved in this concept, and proposes a “road map” of the new family arrangements.
 
Este artigo procura delinear e discutir metapsicologicamente os principais traços da histeria e da posição feminina. Busca também apontar a especificidade e contemporaneidade do sofrimento histérico, bem como indicar algumas aberturas para a clínica psicanalítica.
ABSTRACT
This paper presents a metapsychological discussion of the main traits of hysteria and of the feminine position. In our era both present specific aspects; this fact opens some new perspectives for Psychoalalysis
 
Procura-se problematizar a questão da formação do psicanalista, a partir do seminário n. 21 de Lacan, denominado: Les non-dupes errent. Neste seminário, Lacan refaz sua proposição acerca da formação dos analistas ao compará-la às leis da sexuação. Segundo ele, assim como ocorre com o ser sexuado que precisa autorizar-se por si mesmo a assumir seu lugar na sexualidade, mas não está sozinho para isso, da mesma forma o analista só se autoriza por si mesmo e… por alguns outros.
ABSTRACT
Taking as a basis J. Lacan’s Seminar xxi (Les non-dupes errent), the authors suggest that his famous formula about becoming an analyst is connected with what he calls “the laws of sexuation”. In the same manner as the sexuated being has to authorize himself to occupy his place in sexuality, he who wants to become an analyst has to take his risks… and be supported by “some others”.
 
 


ENTREVISTA  
DEBATE  
LEITURAS  
Resenha de Robert Walser, Jakob von Gunten, um diário, São Paulo, Companhia das Letras, 2011, 152 p.
 
Resenha de Antonio Cezar Peluso e Eliana Riberti Nazareth (coord.), Psicanálise, direito, sociedade, encontros possíveis, São Paulo, Quartier Latin do Brasil, 2006, 256 p.
 
Resenha de Tatiana Inglez-Mazzarela, Fazer-se herdeiro: a transmissão psíquica entre gerações, São Paulo, Escuta, 2006, 176 p.
 
Resenha de Vicente Augusto de Carvalho, Maria Helena Pereira Franco, Maria Julia Kovács, Regina Paschoalucci Liberato, Rita de Cássia Macieira, Maria Teresa Veit, Maria Jacinta Benites Gomes, Luciana Holtz de C. Barros (orgs.), Temas em psico-oncologia, São Paulo, Summus, 2008, 645 p.
 
Resenha de Carlos Guillermo Bigliani, Rodolfo Moguillansky, Carlos E. Sluski, Humilhação e Vergonha, um diálogo entre enfoques sistêmico e psicanalítico, São Paulo, Zagodoni, 2011.
 
Resenha de Cassandra Pereira França (org.), Perversão: As engrenagens da violência sexual infantojuvenil, Rio de Janeiro, Imago, 2010, 184 p.
 
Resenha de Sílvia Leonor Alonso, O tempo, a escuta, o feminino: reflexões, São Paulo, Casa do Psicólogo, 2011, 458 p.
 
Resenha de Maria Cecília Pereira da Silva, A herança psíquica na clínica psicanalítica, São Paulo, Casa do Psicólogo, 2003, 184 p.
 
 
 

     
Percurso é uma revista semestral de psicanálise, editada em São Paulo pelo Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae desde 1988.
 
Sociedade Civil Percurso
Tel: (11) 3081-4851
assinepercurso@uol.com.br
© Copyright 2011
Todos os direitos reservados