EDIÇÃO

 

TÍTULO DE ARTIGO


 

AUTOR


ÍNDICE TEMÁTICO 
61
Intervenções Psicanalíticas
ano XXXI - Dezembro 2018
21 páginas
  












PERCURSO DIGITAL  


EDITORIAL  
TEXTOS  
A partir de uma perspectiva crítica que contextualiza e situa as condições da invenção do autismo, a autora mostra sua emergência simultânea com o behaviorismo. Problematizando a criação do próprio termo, questiona tanto a epidemia atual quanto as compreensões do fenômeno e a fabricação científica do “quadro clínico” por Kanner. É no caso a caso, ao empreender uma aventura psicanalítica com uma criança, que poderá articular-se algo dessa relação indizível com o gozo que se exprime no brincar.
ABSTRACT
From a critical perspective that contextualizes and situates the condition from the autism invention, the author shows its emergence simultaneously with behaviorism.
  Problematizing the creation of the term itself, she questions the current epidemics as much as the phenomenon understandings and Kanner’s scientific construction of the “clinical picture”. It’s case-by-case, by undertaking a psychoanalytical adventure with a child, that is possible to articulate something from this unspeakable relation to the jouissance which is expressed in the play.
 
Defino exclusión social, la cotidianeidad y los traumatismos permanentes a los que están expuestas aquellas personas en los límites de la sobrevivencia. Los lugares que se les ofrecen, y las posibilidades de subjetivación, problemas esenciales que tienen que ver con la convergencia de la clínica con lo social. Se analiza la identificación mortífera que se les impone. Subrayo sus producciones culturales y nuestras posibilidades como psicoanalistas
ABSTRACT
It poses what is meant by social exclusion, the everyday and the permanent traumatisms in which those persons, in the limits of the survival, are exposed. The places that are offered, and the possibilities of subjectivation, essentials problems that are related with the convergence of the clinic and the social. It analyzes the deadly identification that is imposed. It underlines their cultural productions. It points to the immune answers and the possibilities as psychoanalysts to that situation.
 
Esse trabalho propõe-se a denunciar a decisão de dar medicamentos psiquiátricos a crianças, o que pode deixar marcas profundas em seu psiquismo. Por esse motivo, embasados em uma ética psicanalítica, este artigo argumenta que devemos lutar a favor da desmedicalização das doenças infantis, denunciando os perigos decorrentes do uso de medicamentos. Damos também elementos metapsicológicos que nos permitem entender os conflitos de atenção e a hiperatividade.
ABSTRACT
This work aims at criticize the decision of administer psichiatric remedies to children, as they may leave deep scars in their psichism. For this reason, based on a psichanalitc ethic, this article argues that we should fight against the medication of children disesaes, exposing the risks involved in the use of drugs. We also provide metapsichological arguments that allows the parties to understand the attention deficit and hyperactive disorder.
 
Este artigo, relato de experiência de uma psicanalista no SUS, está em sintonia e complementaridade com o artigo publicado na Percurso 59 “HumanizaSUS e a escuta do indeterminado” . Trata-se, nesta ocasião, de dar a conhecer uma prática clínico-ético-política, trabalho de escuta, análise de demanda, construção compartilhada e acompanhamento de um processo de intervenção em e com um território de atenção à saúde da cidade de São Paulo. Trata-se ainda de apontar alguns dos desafios colocados para os psicanalistas em seu encontro com as demandas da Saúde Pública/Saúde Coletiva, além de refletir sobre as dimensões políticas da clínica quando convocada a uma prática fora dos espaços convencionais, em conexão com fluxos de trabalhadores, usuários, movimentos culturais e sociais.
ABSTRACT
This article reports the experience of a psychoanalyst within the Single Health System of Brazil (SUS) and complements the text published in the journal Percurso n.59 entitled “HumanizaSUS and the listening to the undeterminate”. Here we present a clinical-ethical-political practice, in its dimensions of listening, demand analysis and shared constructions, and follow-up on an intervention in and with the health care of the city of São Paulo. The author points some of the challenges posed to the psychoanalysts when faced with the Public Health/Collective Health demands and reflects on the political dimensions of the clinic when invited to act outside of the conventional spaces and in connection with the flow of workers, users, and social and cultural movements.
 
O artigo discute as novas formas de fazer política, a partir das ocupações das Escolas brasileiras pelos jovens secundaristas. Segue articulando essas questões à psicanálise, mais especificamente suas noções de limite do domínio egoico, de alteridade e de economia libidinal nos laços fraternos. Finaliza problematizando a prática analítica em espaços mais amplos do que a clínica tradicional.
ABSTRACT
The article discusses the new ways of doing politics, based on the occupation of Brazilian schools by secondary level students. It then articulates this to psychoanalysis, more specificallly the notions of a limit to the egoic domain, of alterity and fraternal ties. It ends by bringing into sharp relief the analytical practice in spaces broader than traditional clinic.
 
A partir da consideração da especificidade da escrita do analista, o presente trabalho propõe uma crítica ao modelo de avaliação dos periódicos de psicanálise. Utiliza a lenda de Procusto como metáfora da utilização de critérios rígidos para avaliação de periódicos da area da psicanálise.
ABSTRACT
From the understanding of the singularity of the analyst’s writing, this text aims to discuss the evaluation model used by psychoanalytic journals. In this essay, the Procrustes Mithology is used as a metaphor to describe the rigid criteria used to evaluate journals in the psychoanalytic field.
 
A autora aborda os traumatismos psíquicos provenientes do contexto social e da época em que vivemos, caracterizada por estarmos sujeitos a diversas crises, rupturas, onde o que parece prevalecer é um desassossego, um mal no ser mesmo da humanidade, tomando de Kaës (2012) o conceito de malêtre, que, diferente do mal-estar na cultura proposto por Freud (1929), parece considerar a falha na sustentação social. Propõe-se aqui, através da exposição clínica de duas vinhetas, valorizar os dispositivos-enquadres que levam em consideração o trabalho vincular e o uso do mediador terapêutico nomeado como pictograma grupal.
ABSTRACT
The author addresses the psychic trauma from the social context, and from the current time characterized by being subject to various crises, ruptures, where what seems to prevail and a restlessness, an evil in the very being of humanity, taking from Kaës (2012) the concept of malêtre. Different of the malaise in the culture proposed by Freud (1929), what seems to be in question is the fault in the social sustentation. It is proposed through the clinical exposition of two vignettes to evaluate the device-frames that take into account the binding work and the use of the therapeutic mediator named as a group pictogram.
 
Uma jornada através da poesia – através de algumas poesias e de alguns poetas – por sentido e pelo significado do tédio e uma tentativa de encontrar suas possíveis relações com a visão winnicottiana e com os estados de sofrimento mental/ esquizofrênicos, tendo em mente o princípio da singularidade.
ABSTRACT
A quest through poetry – through a handful of poems and poets – for meaning and the sense of boredom and an attempt to establish possible relations with winnicottian thought and mental suffering/schizophrenic states, bearing in mind the principle of singularity.
 
O artigo parte de uma reflexão sobre o sentimento de nostalgia – esta estranha sensação de incômodo e desconforto diante de términos, perdas e separações presentes na vida. Encontra no “complexo do semelhante” (Freud, 1895) respaldo para propor como hipótese que a expressão “complexo melancólico” (Freud, 1917) tenha status de conceito estrutural, indo mais além do caráter psicopatológico dado por Freud. Sustenta a ideia de ser este complexo constitutivo do anímico, em um período anterior à constituição do desejo.
ABSTRACT
The article investigates the feeling of nostalgia, this strange feeling of annoyance and discomfort about endings, losses and separations present in the daily lives. Finding out in “complex similar” (Freud, 1895) support to promote the expression “melancholic complex” (Freud, 1917), the concept of status. It supports the idea that this constitutive complex of animistic, in a period prior to the desire constitution.
 
 


ENTREVISTA  
DEBATE  
DEBATE CLÍNICO  
LEITURAS  
Resenha de Marina de Oliveira Costa, De que cor será sentir? Método psicanalítico na psicose, São Paulo, Manole, 2016, 335 p.
 
Resenha de Jacques Rancière, O inconsciente estético, São Paulo, Editora 34, 2009, 80 p.
 
Resenha de Ethel Cukierkorn Battikha, A comunicação do diagnóstico na UTI Neonatal: médicos e pacientes – assimetrias e simetrias, São Paulo, Escuta, 2017, 130 p.
 
Resenha de Elisa Maria de Ulhôa Cintra, Gina Tamburrino e Marina F. R. Ribeiro (org.), Para além da contratransferência: O analista implicado, São Paulo, Zagodoni, 2017, 204 p.
 
 
 

     
Percurso é uma revista semestral de psicanálise, editada em São Paulo pelo Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae desde 1988.
 
Sociedade Civil Percurso
Tel: (11) 3081-4851
assinepercurso@uol.com.br
© Copyright 2011
Todos os direitos reservados